Cooperativismo Catarinense

dinheiro extra

Dinheiro extra

Especialista dá dicas de como usar os valores do saque extraordinário do FGTS e da primeira parcela do 13º salário

Recentemente, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) iniciou os pagamentos da primeira parcela do 13º salário para aposentados e pensionistas. Em paralelo, o Governo Federal também começou a liberação de valores até R$ 1 mil reais do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) por meio do saque extraordinário, que segue até o dia 15 de junho respeitando o calendário. O benefício pode ser movimentado até dezembro.

Esses valores extras são vistos com entusiasmo para muitos que pensam em como aproveitar o dinheiro para adquirir um bem, fazer compras ou vivenciar novas experiências. Mas, de acordo com Audrey H. Barneche, especialista em Investimentos da Credifoz, este é um excelente momento para iniciar um investimento ou, até mesmo, quitar dívidas.

“Pensar em dinheiro extra traz empolgação, mas a verdade é que se o valor não for bem aproveitado, ele pode se tornar um problema. Por isso, é preciso estar atento e usá-lo em um investimento que trará retorno futuro ou no pagamento de contas”

, explica Barneche.

Uma pesquisa realizada em abril pela Opinion Box em parceria com a Serasa, entrevistou 1.679 usuários da empresa de análises e informações para decisões de crédito e apoio a negócios. Desses, 26% informaram que pretendem usar o valor extra para encerrar as dívidas com o cartão de crédito e outros 26% pretendem pagar demais contas básicas.

Na hora de quitar dívidas, a dica da especialista é optar por aquelas que têm os juros mais altos.

“Organize suas contas, anote as que possuem os juros mais altos e comece por elas. Um bom exemplo é a fatura de cartão de crédito. Priorize sempre estar com seus compromissos financeiros em dia, mas se não conseguir, inicie pagando as que geram juros, para não acabar se enrolando ainda mais”, destaca Barneche.
 
Use o dinheiro extra para investir
Se as suas contas estão em dia, pense em como fazer esse valor extra render. Para isso, o investimento é uma boa opção.

“Existem modalidades de investimentos para todo perfil de investidor. Aqui na cooperativa, sempre orientamos o cooperado, seja ele um investidor iniciante ou alguém com experiência querendo diversificar. Se você quer investir, procure uma instituição de confiança e entenda qual a modalidade que mais se encaixa para você. Será um investimento a curto, médio ou longo prazo? Essas são questões importantes para fazer o seu dinheiro render e tirar seus sonhos do papel,”

diz.

Atualmente, com a taxa de juros em alta, a renda fixa passa a ser a melhor opção de investimentos, pois é segura e proporciona um bom retorno. Com tantas incertezas econômicas e políticas, não é o momento de correr riscos com investimentos de renda variável.

Quando falamos em investimentos de curto prazo, é importante ter em mente a reserva financeira, conforme explica Audrey.

“No fundo de reserva, é bom investir até três meses dos seus gastos mensais. Então, aqui você junta o valor com um prazo mais curto, ou seja, investe para 30 dias no máximo, pois busca liquidez e sempre que você precisar de um dinheiro, ele estará na mão”.

O investimento de médio prazo é aquele sonho possível de ser programado, como uma viagem, troca do carro, casamento, formatura. Nesta modalidade, o prazo varia de seis meses a dois anos. Já no investimento de longo prazo, o ideal é fazer o dinheiro trabalhar, pensando em um período de mais de 10 anos. Neste caso, o recomendado é iniciar uma previdência privada para ajudar na renda futura.

“O momento é ideal para colocar o dinheiro a render. Mesmo que só possa guardar R$ 100 por mês, isso já fará uma grande diferença no seu futuro. Se você tem 20 anos e poupar R$ 100 por mês, quando chegar nos 65 terá acumulado em torno de R$ 445.095,80 (com uma taxa de 8% ao ano). E se você já passou dessa idade, é bom lembrar que nunca é tarde para começar. Se tem 50 anos hoje, tenha certeza que aos 60 vai pensar que deveria ter começado a investir nos 50”

, finaliza a especialista.

Sobre a Credifoz
Com foco na valorização do cooperado, estímulo da qualidade de vida da comunidade e oferta de serviços financeiros diferenciados, a Credifoz mantém uma gestão apoiada nos princípios e nos valores cooperativistas. Formada pela união de empresários do Litoral-Norte catarinense, tem atuação nas cidades de Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Camboriú, Itajaí, Itapema, Navegantes, Penha e Tijucas. A cooperativa integra o Sistema Ailos.
 
Fonte: Oficina das Palavras