Cooperativismo Catarinense

OUTUBRO ROSA

Outubro Rosa

Fiz o seguro pensando “nunca se sabe o dia de amanhã”

A associada do Sicoob MaxiCrédito, Jacqueline de Oliveira Schroder conta como o Seguro Vida Mulher foi importante durante seu tratamento contra um câncer de mama

Com os cabelos curtinhos e enrolados, Jacqueline de Oliveira Schroder sorri enquanto conta sua história. Boleira por vocação, a profissional ficou alguns meses afastada da cozinha para tratar um câncer de mama. Seu relato não é tão doce quanto os quitutes que faz. Aos 35 anos, a blumenauense integrou o grupo de 2,3 milhões de novos casos estimados em 2020 pelo Instituto Nacional do Câncer (INCA).  

Casada há 19 anos e mãe de duas meninas, uma de 14 e outra de 12 anos, Jacque nunca pensou que trabalharia com doces.

“Sempre trabalhei com meu pai, que fazia salgados. Achei que seria assim. Tive um restaurante e fiz um curso de doces para agregar ao menu. Com isso descobri minha paixão. Não foi desde pequena”

, explica. 

Quando encerrou seu restaurante, começou a fazer os bolos para vender. Seu favorito é o de brigadeiro branco com geleia de morango. Um dos que mais gosta de fazer – e provar. Lívia, sua filha mais velha, gosta de ajudá-la na cozinha. Contudo, depois do diagnóstico, esse momento mãe e filha ficou em segundo plano.  

Autoexame: um simples cuidado que salva vidas  

Jacque descobriu o câncer durante um autoexame. Depois do diagnóstico ser confirmado, ficou assustada.

“Na hora a sensação foi ´vou morrer´, por que meu pai morreu de câncer. O médico me tranquilizou, mas mesmo assim é um baque. Você perde o chão”

, conta. Associada do Sicoob MaxiCrédito há mais 10 anos, a segunda coisa que pensou foi no seguro que tinha feito.  

“Eu conheço a Daniela e a Soraia da Agência Itoupava Central há bastante tempo. A Dani me apresentou o Seguro Mulher e eu lembro que pensei ´poxa, nunca se sabe o dia de amanhã´. Não me arrependo de ter feito. Me ajudou muito!”

, relembra.  

Jacque fez o tratamento pelo SUS e utilizou o valor do seguro para quitar suas dívidas e ajudar em casa, pois teve que parar a produção de bolos. Um estudo realizado pela oncologista e pesquisadora Luciana Landeiro com um grupo de mulheres de 18 a 57 anos apontou que 29,1% das entrevistadas relataram ter tido algum ajuste no seu trabalho para lidar com os efeitos do tratamento, como foi o caso da boleira. 

Muito além de um seguro: um amparo 

Um seguro de vida pode transformar a vida de uma família, pois é um amparo em situações difíceis. O seguro contratado pela Jacqueline é o Seguro Vida Mulher Sicoob, disponível para mulheres de 16 a 64 anos. Além de morte, morte acidental, invalidez permanente, total ou parcial por acidente, ele também cobre assistência funeral e doenças graves. 

A Agente de Atendimento Daniela Alves de Andrade foi quem apresentou o seguro à Jacque.

“É muito gratificante ver que podemos estar presente na vida dos nossos associados neste momento tão delicado. É o que nos motiva diariamente a ajudar mais pessoas, assim como a Jacqueline. Fico muito feliz em saber que a Cooperativa foi de grande importância na vida dela”

, compartilha a colaboradora da MaxiCrédito.  

“Quero voltar com tudo” 

Antes de contar para a família, a boleira esperou os exames ficarem prontos e o diagnóstico ser confirmado. Os sogros perceberam a movimentação, ainda mais por serem vizinhos. Uma noite ela reuniu a família e contou. As filhas encaram bem a situação.

 “Elas falaram assim ´mãe, na TV aquela mulher tinha câncer e foi curada”. 

Ninguém se desesperou e isso fez a diferença. 

Conversamos com Jacqueline em setembro de 2021 e sua cirurgia foi em dezembro do ano anterior. Os ciclos de radioterapia e quimioterapia já terminaram, mas segue em acompanhamento. A produção de bolos também está voltando. Ela pretende investir naquilo que lhe faz bem. 

“Daqui pra frente quero me aprofundar mais na área. Parada, vi que isso me faz falta. É a minha paixão. Quero voltar com tudo.” 

Fonte: Comunicação do Sicoob MaxiCrédito