Cooperativismo Catarinense

VEÍCULOS

COOPERJA é uma das cooperativas participantes da
entrega de veículo ao Proerd

O presidente da Cooperja Vanir Zanatta, participou na última sexta-feira(06), na 3ª companhia de Polícia Militar do 19º BPM, em Turvo, da solenidade de passagem de comando do Major da PM Rogério Frigo. Quem assume o comando no seu lugar é o Capitão da PM André Ferreira de Araújo.

“Agradecemos o belo trabalho desenvolvido ao Major e desejos de sucesso na nova missão ao novo comandante”

, espera Zanatta.

Na oportunidade também foi realizado a entrega de um veículo adaptado para o trabalho dos profissionais do Proerd (Programa Educacional de resistência as drogas), desenvolvido pela Polícia Militar na região.

A viatura adquirida em forma de consórcio, foi através de 10 cotas de empresas e cooperativas. Cooperja, Sicoob/Credija, Cejama, Coopersulca e Sicoob/Credisulca, todas cumprindo o 7º princípio do cooperativismo, que é o “interesse pela comunidade”.

Associados da COOPERJA iniciam investimento em turismo
rural e recebem apoio da cooperativa

Um belo cenário desenhado pela natureza e com uma história que inicia por volta de 1946, ano em que foi construída a morada que hoje, é o mais novo atrativo na comunidade de Engenho Velho, interior de Jacinto Machado/SC. “A Casa da Nona”.
A morada é uma herança dos pais de Maria Candiotto. Casada com Fioravante Scaini tiveram 12 filhos e sempre trabalharam na agricultura. A família fez história na comunidade, ajudando na construção da igreja. Maria e as filhas sempre faziam o almoço para os pedreiros da obra, na morada que herdou, que ficou sendo conhecida como “Casa da Nona”.

Em 1999, Maria decidiu fechar a propriedade, após a perda do filho que era seu cuidador. E mudou-se para o município de Sombrio/SC com a nora e a neta. Em 2001 a propriedade foi adquirida por outra neta, Susana Scaini(43) e o esposo Valdecir Montovani(49), vindo a morar com as filhas Gabrieli(24) e Maria Luiza (13) que nasceu na residência.

Sem dinheiro para comprar a propriedade, a família trabalhou incansavelmente para pagar o sonho da nova aquisição e ter um terreno próprio para morar e plantar.
Associados da Cooperja, Valdecir e Susana sempre trabalharam na agricultura, nas culturas de fumo, maracujá e banana. E contam que nunca pensavam na possibilidade de abrir a propriedade para o turismo.

“A idéia começou a surgir aos poucos, começamos a arrumar a propriedade para nós mesmos. A minha participação no Núcleo Feminino da Cooperja me ajudou a ter uma mente mais aberta, com visão de investir em tudo aquilo que tínhamos ao nosso redor”

, conta Susana. Sobre o nome do novo empreendimento a família não teve dúvidas com a escolha.

“A moradia sempre foi chamada e conhecida como a casa da nona pelos filhos, netos e bisnetos, amigos e vizinhos e não teria como ter outro nome”

, relembra ela.

Atualmente a família planta 14 hectares de banana e vive principalmente da cultura. E agora vê no turismo mais uma possibilidade de renda, aliado a proporcionar o bem-estar aos visitantes.

Os dons culinários foram passados de geração em geração, Susana e suas filhas não tiveram dificuldades de apresentar aos turistas as delícias caseiras que tem o gostinho do passado e com memórias afetivas que o turista que chega no interior procura.

“Queremos proporcionar ao nosso visitante a experiência da vida rural, através da arquitetura antiga de mais de 70 anos que é a casa da nona. Através das comidas coloniais e do café rural, queremos receber os turistas mediante agendamento. Assim conseguimos dar maior atenção e carinho que eles merecem”

, explica a filha mais velha, que é formada em Nutrição e já pensa em se especializar em cursos de turismo.

A família conta que o medo do novo, de saber como começar e sair da zona de conforto muitas vezes deixaram todos indecisos.

“Decidimos arriscar. Potencial do local temos de sobra, e estamos felizes com apoio e incentivos de muitas pessoas e isso nos motiva a fazer cada vez melhor”

, destaca a matriarca Susana.

A Cooperja, representada pelo seu presidente Vanir Zanatta e de alguns diretores estiveram visitando a propriedade para presentear a família do associado com alguns utensílios domésticos (pratos, talheres, aventais, panos de prato, etc..), que ajudará neste início do novo empreendimento e mostrar o total apoio da cooperativa.

“Falar em empreender é fácil, difícil é fazer na prática. E nossos associados Valdecir e Susana, tiveram essa coragem. E nós como entidade, precisamos apoiar e participar, afinal pode ser um embrião, para outras famílias entrarem no processo. Nosso município é riquíssimo em paisagens naturais, as pessoas querem conhecer, mas as comunidades precisam oferecer um mínimo de condições e bem estar, para atrair os admiradores da natureza e de comidas da Nona”

, resume o presidente Vanir Zanatta.

A família divulga as delicias que produz em suas redes sociais no instagram no endereço @casadanona e já pensam em fazer novos investimentos na propriedade para melhor atender ao turista.

Fonte: Comunicação da Cooperja